22 abril 2014

É o fim da Model Power

Infelizmente meu primeiro post depois de tanto tempo é para dar uma triste notícia: o fim da Model Power, fabricante americana que depois de 50 anos sucumbiu às mudanças e pressões do mercado. Eis o comunicado oficial (que pode ser traduzido usando a opção "Selecione o idioma" acima): "Dear Model Power Customers, After nearly 50 years serving the hobby industry, our 3rd generation family business will closing effective immediately. In 2007, our banks began an aggressive deleveraging process. They no longer approved of a profitable and paying client such as ours, which had been reliant on inventory. This is why one of the industry's most extensive lines, had begun to see much of its products unavailable on the market. Now it will no longer be seen at all. During these past 7 years, we had made changes to the business in order to accommodate and adjust to the changing nature of the business relationship with our lenders. We had offered multiple solutions to our lenders in order to "fix" our situation, all were rejected, came with different restrictions, or offered to little too late. In all our efforts, no arrangements by our lenders would allow for Model Power to arrive at a position in which we could get back to fill our customer needs. We would like to take the time to thank all of those whom we have worked with the past 50 years. To our customers and competitors within the industry, we thank you. Sincerely, The Model Power Family"

20 dezembro 2012

Nm: bitola métrica em N

Estes vagões são para minha maquete freelance em Nm (bitola métrica em N, 1:160), uma ferrovia particular da Fazenda Ouro Verde, também fictícia, em bitola métrica.

Em São Paulo do início do século XX, muitas fazendas produtoras de café e cana de açúcar tinham suas próprias ferrovias e em geral, se conectavam com ferrovias maiores como Mogiana, Paulista, Sorocabana, Central, SPR e outras. A minha irá se conectar com a Mogiana, em algum ponto de interior paulista que ainda não decidi.

Este material rodante vem de kits americanos de vagões da época da guerra civil americana. Eram de bitola padrão originalmente, mas pequenos e têm a aparência e as dimensões de vagões da métrica brasileiros. Por isso, para começar, resolvi adaptá-los para a métrica, apenas colocando truques Nn3 da Micro-Trains. Depois pretendo modelar do zero meu próprio material.

Tanto o fechado quanto o gaiola são de madeira compensada muito fina, cortados à laser. A montagem é muito rápida e os encaixes muito precisos, como é de se esperar de uma material cortado à laser. Pintei com aerógrafo e envelheci com guache. Os decalques eu mesmo fiz, com impressora Alps (que imprime em branco) e papel decalque transparente.

É uma pena que as fotos não façam jus ao material ao vivo (culpa do fotógrafo)... Mas dá pra ter uma ideia da qualidade do resultado final dos modelos. Eles tem apenas 2 polegadas de comprimento, mas os detalhes são tão finos quanto os melhores modelos em H0. Alguns feitos em photoetch, outros em fios de latão muitos finos. O engate também é Micro-Trains e é do tipo automático, magnético.

O teto do fechado não me agradou muito... Pretendo retirá-lo no futuro e fazer outro, imitando chapas corrugadas, como era o padrão no Brasil. O volante do freio que veio no kit era tipo volante mesmo, circular. Preferi fazer tipo manivela, como era o padrão na Mogiana, já que essa ferrovia irá se conectar com ela e o natural seria fornecer este tipo de material para o parceiro ferroviário.

O material Nn3 roda em trilhos da bitola padrão da escala Z (6,5mm) que, quando usados na escala N, assumem as dimensões aproximadas da bitola de 3 pés americana (Nn3), bitola métrica brasileira (Nm) e outras bitolas próximas da métrica, como a Sul Africana e Australiana.

Até onde eu sei, é o primeiro caso de uma modelagem Nm/Nn3 no Brasil. Se você conhece quem modele em Nn3 ou deseja tentar você mesmo, entre em contato.

09 novembro 2012

Vídeo HD da maquete Z do Ronaldo Vaz

A maquete Z do Ronaldo Vaz é um show e tem recebido merecida admiração também de modelistas estrangeiros, através de destaques em revistas americanas. Agora ele apresenta este fascinante vídeo, mostrando a operação de sua maquete. Note como a locomotiva roda numa velocidade muito realista para a escala. É preciso lembrar que o Ronaldo é daqueles que prefere fazer TUDO em casa, incluindo a locomotiva (e seu motor!), o carro de passageiros, construções, vegetação, enfim, tudo mesmo quase a partir do zero.

Related Posts with Thumbnails