21 maio 2017

5º Encontro de Ferromodelismo RMC

Mikado do Arnaldo Botan em vapor vivo.

Aconteceu ontem, sábado, 20 de maio, num lindo dia de céu aberto e temperatura amena, o 5º Encontro de Ferromodelismo da Região Metropolitana de Campinas, na Estação Cultura (antiga estação Central da Cia Paulista - depois FEPASA). Eu estive lá e pude perceber, também por conversas com lojistas, o grande sucesso do evento, comparado com as edições anteriores. Parabéns ao Foster Móz e ao Rodrigo Prado da Prado Trens pela bela organização.


Leandro Guidini dando um suporte à Mikado.

A Estação Cultura recebeu outros 3 eventos neste dia, o que reforçou sem dúvida alguma o número de visitantes no local. Foram eles: a Oficina de Teatro Musical (das 8h às 13h), Boteco na Estação (a partir das 13h) com o Grupo da Serrinha em uma animada roda de samba e o Projeto “EmPodera!” (das 14h às 17h). Veja a programação completa do que rolou.

O evento de ferromodelismo aconteceu na plataforma de embarque da estação mas também incluiu uma área anexa, o famoso “Gavetão”, onde os trens da Mogiana encostavam para embarque de passageiros, totalizando aproximadamente 1500 metros quadrados.

Segundo o Foster, o evento contou com 18 lojistas e 32 maquetes, com um público de mais de 5 mil pessoas.

Prestigiaram o evento alguns dos mais notáveis modelistas nacionais, como Arnaldo Botan (SP) (e seus aprendizes Leandro Guidini e Fellipe Bragion), Romulo de Sousa (SP) da Thunder Metal (Acompanhado do Rubens Ueda), Danilo da Danibus, Paulo Vidal (PR) da Le Grand Train e o pessoal da Maquete Modular do ABC.

O Denilson Paulino (Sorocaba, SP) fez várias fotos e vídeos do evento e gentilmente autorizou sua publicação aqui no Minitrem.

Denilson, Emerson e Rodrigo.
Maquete da AMFEC. Ponte construida pelo Paulo Vitale e envelhecida por mim, Alex Leão.
Maquete N do Nacho Rebollo. Está a venda!
Maquete Modular do ABC.
Maquete Modular do ABC.
Maquete Modular do ABC.
Carretas do Rafael Favaro.
Onibus do Danilo da Danibus.

12 março 2017

Facebook do Minitrem

Inaugurei uma página de Facebook para o Minitrem, mais um canal de distribuição das novidades e curiosidades do modelismo ferroviário. Acesse, curta, siga, compartilhe!

Minitrem no Facebook

04 fevereiro 2017

G12 e U20C na escala N (1:160)


EMD G12 na escala N.

Sou um frequentador assíduo do site Shapeways, um serviço on-demand de impressão 3D. Eles disponibilizam um catálogo com modelos 3D de designers do mundo todo. Navegando pelo site, procurando itens de ferromodelismo em H0n30 e N, me deparei com uma oferta da G12 com um ou outro detalhe diferente. Escrevi para o designer e perguntei se seria possível imprimir em N, já encantado com a possibilidade. Em 2 semanas estava com a G12 e uma U20C em mãos. Hoje a oferta dela em N já é permanecente.


G12 impressa em HDA. A olho nu as camadas de impressão dificilmente são vistas.

Elas foram impressas em dois materiais diferentes. Minha intenção era avaliar o nível de detalhe que cada material era capaz de reproduzir… Ganhou o material mais escuro, o HDA (High Definition Acrylate). O mais claro, o FXD (Frosted Extreme Detail) infelizmente exibe muito ruído na superfície.

Mesmo o HDA apresentando uma resolução incrível, ainda não é o mesmo que uma peça injetada em plástico. A aparência a olho nu é excelente, mas quando se coloca a peça em angulo contra a luz ou se faz fotos em macro, é possível ver as camadas da impressão.


U20C impressa em FXD. Note a aparência "congelada" do material.

Para entender exatamente o quanto de acabamento cada um dos materiais demandaria, eu apliquei um fundo cinza, para facilitar a visualização dos detalhes e imperfeições da impressão. O HDA ganha disparado em qualidade. Dá quase pra aceitar ele assim mesmo e por pra rodar. Mas eu quero ver o quanto consigo “alisar" a superfície. Então pretendo lixar até que a superfície fique perfeita.

Motorização
Não sei ainda o que vou usar para a motorização. Imagino que uma S2 sirva para motorizar a G12 e uma RSD 4/5 para a U20C, a exemplo da escala H0. Em breve publico o resultado da tentativa.


A impressão em FXD infelizmente apresentou um acabamento inferior.

Custo
Custou caro. A impressão é feita na Holanda, o que significa que o preço é em Euro. Além disso, eles despacham via UPS, que é caríssima. Somou-se a isso um imposto de importação abusivo mais uma taxa surpresa da UPS, por conta de despachos aduaneiros… Desembolsei no total cerca de 800 reais nas duas, um preço alto demais para duas carcaças. É claro que valeu pelo exercício, pela experiência, pela prova de que é possível utilizar impressão 3D para modelar em N. Até onde eu sei, estas são as primeiras locomotivas G12 e U20C na escala 1:160 no Brasil. Quem sabe essa experiência inspire outros modelistas e vejamos num breve futuro um boom dessa escala no Brasil? Com a impressão 3D barateando e melhorando sua qualidade a cada dia, eu imagino um futuro brilhante para a escala N no Brasil.


Dry-run para testar a harmonia do conjunto.

Faça Você Mesmo
Se você não modela em 3D, você pode simplesmente entrar em um serviço como o Shapeways e procurar o que precisa. Mas vai estar sempre restrito ao que está disponível na loja. Se você sabe como modelar em 3D, então você já está a meio caminho de revolucionar o seu hobby. Precisa de uma locomotiva obscura, que ninguém fabrica? Desenhe e imprima. Precisa de um detalhe que só existiu na ferrovia que você modela? Desenhe e imprima. Existem vários pacotes de CAD que são gratuitos, ou pelo menos muito baratos. Eu uso o Sharpr3D, um app para iPadPro. Ele é muito fácil de usar e de fato já fiz algumas experiências que pretendo imprimir na Shapeways. Escolha o seu:

E você? Já usou a impressão 3D em suas modelagens? Compartilhe suas experiências! Escreva para minitrem arroba minitrem ponto com.

Para não perder esta e outras séries de grande utilidade para ferromodelistas, receba os boletins do Minitrem em seu Email.


G12 escala N sobre trilho Z: bitola métrica!
Related Posts with Thumbnails