29 janeiro 2009

Mogiana 601

Minitrem.Acompanhe as novidades via RSS ou Email.

Em 2008 repintei e super-detalhei uma consolidation Frateschi e esta máquina acabou pegando 2º lugar no encontro Frateschi em São Carlos-SP. Eu inclusive já postei algumas fotos do processo de detalhamento e dela finalizada nas listas do Yahoo grupos que participo, mas gostaria agora de colocar o passo-a-passo aqui no blog.

Ela originalmente estampava as cores da Denver & Rio Grande (cabine e tender amarelos). Este amigo me pediu para convertê-la em uma Mogiana e pesquisando, encontramos uma CM que poderia ser modelada apartir da Frateschi sem grandes traumas, mas na escala 00 (1:76). Aliás, aqui fica uma dica de quem gosta de modelar bitola métrica, mas acha difícil encontrar material: as vapores da Frateschi tem rodeiros e tamanho geral que, na escala 1:76, corresponde a muitas (mas muitas MESMO) locomotivas de várias ferrovias de bitola métrica tanto brasileiras quanto estrangeiras. A bitola de 16,5mm que em H0 corresponde à bitola standard, em 00 fica com bitola relativa a 1 metro e 25 centímetros, o que para mim está de bom tamanho.

No caso da CM a locomotiva escolhida foi da série 600. Ela ficou com rodeiros, caldeira, cabine, domos, chassis e chaminé com medidas quase idênticas, na escala 1:76, com as da planta da CM. O tender ficou com a altura correta, porém 10% mais comprido. A largura do conjunto também bate em cima da pinta com a planta em escala 1:76. As diferenças mais traumáticas e que resolvi não mexer, pois a máquina não é minha (:^), foi a posição dos domos.

Decidido que protótipo usar como referência e até onde iria com a modelagem, comecei a retirar a tinta original com fluido de freio e lavei as peças com água e detergente neutro. Depois de secas, as peças receberam fundo "primer" e a primeira demão de cor. Percebi então que essa pintura seria mais complicada do que parecia: quando se usa aerógrafo e quando o objeto possui multiplos planos, é comum acontecer o "empoeiramento" da tinta. Pra encurtar a história, refiz a pintura 5 vezes até conseguir ficar satisfeito com o acabamento. Refazer a pintura significou remover a tinta e pintar tudo de novo, 5 vezes (eu sei, eu sei, se fosse alguém competente teria acertado na primeira... :^).

Na modelagem foram vários os desafios. Retirei as tubulações injetadas em plástico da caldeira e as refiz em "3D", ou seja, destacadas do plástico da caldeira. Adicionei a tubulação de vapor em cada lado da máquina e também adicionei o comando de acionamento do areieiro, sino e apito. Aliás, esses últimos 2 comandos (apito e sino) estão com diâmetro na escala e modelá-los e instalá-los foi uma tarefa que exigiu "nervos de aço" para que não houvessem excessos na colagem, amassamentos e etc...

O esquema de cores escolhido foi baseado no encontrado em algumas vapores da CM pós estatização: caldeira, cabine e tender em preto, cintas, domos e caixa de fumaça em "gun metal" (cinza chumbo bem escuro), letreiro, faixas e aros das rodas em branco e "para-choques" em vermelho. Pintar os domos numa cor diferente da caldeira representou um desafio aparte, pois mascarar uma área com curvas orgânicas é tarefa das mais difíceis.

Faltou fazer os puxavantes dos comandos de válvula, mas o dono da máquina se deu por satisifeito assim mesmo.

Gostaria de listar algumas características importantes:

  • Limpa trilhos estilo "Mogiana": feito inteiramente em estireno (dificílima modelagem, se alguém tiver feito de forma fácil e quiser compartilhar, fique a vontade);
  • Cabos de comando do sino e apito: feito com arame flexivel de bitola na escala do real;
  • Recuo do engate do tender: o original é muito "protuberante". Para instalar o Kadee tive que retirar material da caixa de engranegens do tender;
  • Engates Kadee na frente e no tender
  • Troca da fiação elétrica entre o tender e locomotiva para algo que simulasse os tubos de água reais. Pintei os fios de preto para aumentar o realismo;
  • Pintura das esquadrias em vermelho;
  • Confecção caseira dos decais para o tender, cabine, domo de vapor, placa do fabricante, farol e placa da caixa de fumaça;
  • Pintura dos aros: pincel e mão firme!;
  • Grades do tender (lenheiro): tiras de estireno;
  • Pega-mãos no tender e cabine: arame com bitola na escala;
  • Ferragem de desengate: arame com bitola na escala;

Abaixo algumas fotos da CM 601 pronta.

Em breve: como enferrujar plástico!
Minitrem.Gostou do que leu? Indique para os amigos!

0 comments:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails