29 abril 2010

Coleção "Locomotivas do Mundo"

A Del Prado, editora especializada em literatura colecionável, lançou no mercado brasileiro há algumas semanas a coleção Locomotivas do Mundo. Como ainda está difícil de encontrá-la nas bancas do interior, imagino que muitos ainda nem tenham ouvido falar nela. Há também quem já ouviu falar, mas nunca "viu". Resolvi então fazer este "review" para aqueles que estão longe dos grandes centros.

Quando a coleção foi lançada, decidi não colecioná-la. Ferrovias estrangeiras estão fora do meu foco como ferrofã e as miniaturas, por não serem funcionais, pouco podiam me servir como ferromodelista - pensei com meus botões. Além disso, os fascículos ainda não podiam ser encontrados em minha cidade...

Mudei de opinião assim que coloquei as mãos nos 2 primeiros números. Cada edição semanal é composta de:

  • um fascículo que faz parte da Enciclopédia dos Trens e Locomotivas;
  • uma ficha técnica com a descrição detalhada de um modelo de locomotiva;
  • uma miniatura em escala N de uma locomotiva ou elemento similar.

Os Fascículos

Os fascículos são primorosamente editados e ricamente ilustrados com fotos e desenhos. Além disso trazem informações que o ferrofã brasileiro raramente tem a oportunidade de encontrar em lingua portuguesa reunidas em uma só obra: a história do trem, desde seu surgimento até os dias atuais, incluindo os mais modernos trens-bala do mundo.

As Fichas Técnicas

As fihcas são pré-perfuradas e cada uma traz informações detalhadas sobre a miniatura que acompanha o Fascículo. A exemplo dos fascículos, as fichas são primorosamente editadas e trazem fotos das locomotivas reais.

As Miniaturas

As miniaturas estão em escala N (1:160) e superaram minhas expectativas quanto à qualidade. A injeção do plástico da carcaça é top, o chassi é de metal, a pintura é caprichada e o detalhamento é adequado à uma miniatura estática (e nesta faixa de preço). Elas vêem embaladas por três bolhas plásticas tipo "blister" descartáveis, o que confere ao conjunto resistência suficiente para enfrentar o mais indelicado jornaleiro. Todas as locomotivas vieram sobre plataformas com imitação de trilhos na bitola padrão (1,435mm ou 9mm na escala N). A primeira locomotiva (TGV) traz uma etiqueta no fundo da plataforma que diz que a miniatura não pode ser colocada sobre trilhos energizados sob risco de gerar curto circuito.

O fascículo Nº1 vem com a miniatura do TGV francês (SNCF) e o Nº2 vem com duas locomotivas: a CC 7100 francesa (SNCF) e a alemã BR-218. As duas francesas são elétricas e possuem uma imitação de pantógrafo em plástico. A alemã é uma diesel/hidráulica.

Aproveitando as miniaturas em sua maquete

Alguns ferromodelistas com quem tenho contato já sondam a possibilidade de motorizar as miniaturas da Del Prado. Eu considero esta uma tarefa ingrata, já que seria necessário se providenciar uma mecânica completa, incluindo engrenagens de redução e o próprio motor. Os truques nas miniaturas da Del Prado são fixados através de um eixo móvel ao chassi do modelo (como num vagão). Mas eu não duvido que mais cedo ou mais tarde algum ferromodelista talentoso apareça com sua versão motorizada!

Mesmo sem motorizar os modelos é possível aproveitá-los em sua maquete. Eles estão na escala correta e podem muito bem fazer as vezes de um modelo "dumie", estacionado numa plataforma, pátio, oficina ou até mesmo num diorama estático.

Conclusão

Gostei! Decidi colecionar "Locomotivas do Mundo". As miniaturas podem ser aproveitadas num diorama ou como dumies em maquetes funcionais, ou simplesmente enfeitar a prateleira. Mas minha atração está mesmo na oportunidade de organizar uma coleção sobre trens como raramente se vê no Brasil. Estamos sempre reclamando que não há cultura ferroviária no país e esta coleção pode ser uma boa oportunidade de engajar amigos, parentes, filhos, sobrinhos e netos na causa ferroviária.

Para quem não tem acesso aos fascículos através de seu jornaleiro, é possível comprá-los online no site da Del Prado.

12 comments:

Anônimo disse...

Caro Amigo

Estou fazendo a coleção, realmente, o modelo é muito bom.

Anônimo disse...

Olá,

Quando esta coleção foi lançada na Europa faz uns 2 anos, consegui pelo eBay um exemplar de uma locomotiva alemã que eu desejava. Gostei muito e a conservo.

Tive interesse por outros modelos da coleção mas não consegui.

Só espero que a Del Prado não interrompa a distribuição dos facículos no meio da coleção, como é comum acontecer por aqui!


Abraços.

Anônimo disse...

Realmente eu nem ouvi falar. Na crise que anda a Espanha, eles deveriam divulgar para aumentar as vendas.

Jean Marcel disse...

Em foruns gringos encontrei mençoes sobre pessoas que conseguiram motorizar alguns modelos.
Embora não deva ser uma tarefa muito interessante, em alguns casos seria muito interessante! Imaginem se eles lançam uma G8/G12 com pintura nacional, o que você ia ver de gente picotando as atlas para motorizar seria incontável
;)

Anônimo disse...

Marino, disse quando iniciou a venda da 1a locomotiva, verifiquei que poderia colocar motor nas locomotiva, pois eu tinha já treis vagões da locomotiva TGV, ai comprei duas e coloquei motores nas mesmas ficando ótimas, com o meus vagões espero continuar adquerindo outros modelos, e colocando motores neles,estão otimos e já coloquei na maquete N e funciona ok.
Marinotrensescala@superig.com.br

Bruno G. Dinardi disse...

As miniaturas têm acabamento excelente, porém há de se considerar a falta de respeito com o consumidor por parte da Del Prado, que não divulga o plano da obra.
Não sabemos quantos exemplares são no total, o que permite que haja interrupção a qualquer momento.
Essas coisas só acontecem no Brasil!

Anônimo disse...

eu queria que pasacem na televisão para poder
acompanhar a coleção.

Anônimo disse...

encontrei em um site a relação fotográfica de uma série de 100 (cem) modelos da Del Prado. Isso foi lançado na Europa. Pelo visto, a Del Prado pretende lançar aqui na Colônia apenas metade da obra. E , mesmo pesquisando no site da Del Prado (como querendo fazer uma assinatura da obra) aparecem as imagens até o número 24. Do 25 ao 50, consta apenas que... depende do andamento das importações... que belo consolo para nós... Concordo com os colegas: podem alterar/interromper, etc. e tal ao bel-prazer deles...Afinal, a Salvat deu um belo calote com a coleção dos Bichos (alguém se lembra disso?)... vamos rezar para que as locomotivas não saiam dos trilhos e sigam até o número 100, quem sabe? Afinal, como disse o colega, já que os espanhóis estão em crise, por que não divulgar mais e assim poder arrumar uns trocadinhos a mais para pagar suas dívidas?

Anônimo disse...

tambem comprei o 1,mas queria as locos do brasil na pintura da fepasa,já pensou a v8,g12,e vandeca.

Anônimo disse...

Boa tarde!
Meu avo deixou um bau com 6 locomotivas da decada de 20 e 30..
sendo que uma funciona a vapor não tenho certeza mais acho que a escala e O.
preciso de alguem que possa avaliar..
Moro em Curitiba..
Luiz Roberto Vidal
luizrvidal@hotmail.com

Anônimo disse...

Estou me desfazendo de uma coleção de trens franceses aproximadamente anos 20 a 40.(11)96048_6670(oi) Douglas

Aline Oliveira disse...

sei um lugar no centro de sp que estas locomotivas estao baratinhas 15 30 reais tem muitos modelos

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails