20 dezembro 2012

Nm: bitola métrica em N

Estes vagões são para minha maquete freelance em Nm (bitola métrica em N, 1:160), uma ferrovia particular da Fazenda Ouro Verde, também fictícia, em bitola métrica.

Em São Paulo do início do século XX, muitas fazendas produtoras de café e cana de açúcar tinham suas próprias ferrovias e em geral, se conectavam com ferrovias maiores como Mogiana, Paulista, Sorocabana, Central, SPR e outras. A minha irá se conectar com a Mogiana, em algum ponto de interior paulista que ainda não decidi.

Este material rodante vem de kits americanos de vagões da época da guerra civil americana. Eram de bitola padrão originalmente, mas pequenos e têm a aparência e as dimensões de vagões da métrica brasileiros. Por isso, para começar, resolvi adaptá-los para a métrica, apenas colocando truques Nn3 da Micro-Trains. Depois pretendo modelar do zero meu próprio material.

Tanto o fechado quanto o gaiola são de madeira compensada muito fina, cortados à laser. A montagem é muito rápida e os encaixes muito precisos, como é de se esperar de uma material cortado à laser. Pintei com aerógrafo e envelheci com guache. Os decalques eu mesmo fiz, com impressora Alps (que imprime em branco) e papel decalque transparente.

É uma pena que as fotos não façam jus ao material ao vivo (culpa do fotógrafo)... Mas dá pra ter uma ideia da qualidade do resultado final dos modelos. Eles tem apenas 2 polegadas de comprimento, mas os detalhes são tão finos quanto os melhores modelos em H0. Alguns feitos em photoetch, outros em fios de latão muitos finos. O engate também é Micro-Trains e é do tipo automático, magnético.

O teto do fechado não me agradou muito... Pretendo retirá-lo no futuro e fazer outro, imitando chapas corrugadas, como era o padrão no Brasil. O volante do freio que veio no kit era tipo volante mesmo, circular. Preferi fazer tipo manivela, como era o padrão na Mogiana, já que essa ferrovia irá se conectar com ela e o natural seria fornecer este tipo de material para o parceiro ferroviário.

O material Nn3 roda em trilhos da bitola padrão da escala Z (6,5mm) que, quando usados na escala N, assumem as dimensões aproximadas da bitola de 3 pés americana (Nn3), bitola métrica brasileira (Nm) e outras bitolas próximas da métrica, como a Sul Africana e Australiana.

Até onde eu sei, é o primeiro caso de uma modelagem Nm/Nn3 no Brasil. Se você conhece quem modele em Nn3 ou deseja tentar você mesmo, entre em contato.

1 comments:

Reginaldo Bueno disse...

Que espetáculo!!!!!!

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails